Hoje em dia, mais de 20% dos casos de acidentes envolvendo motociclistas são por conta de linhas cortantes.
Apesar de existir uma lei que proíbe o uso deste tipo de linhas, a fiscalização não é tão eficiente.  Por isso, cabe aos motociclistas tomar os devidos cuidados para a sua segurança, sendo uma das possibilidades, a antena corta pipa.

Há alguns anos atrás, era raro vermos crianças nas ruas soltando pipas ou papagaios, afinal, é uma brincadeira antiga. Porém a brincadeira foi reinventada com o uso das linhas cortantes.

Cada vez mais, vemos casos de pessoas que sofreram acidentes graves nas ruas por conta da linha modificada com cerol

Feita a partir de uma mistura de pó de vidro, a linha de cerol é, geralmente de bulbos de lâmpadas, com cola. Em alguns casos, o vidro é substituído por pó de ferro, facilmente encontrado em serralherias.
Quando com ferro, o cerol é ainda mais perigoso, pois além de ser muito mais cortante, o ferro é um elemento que conduz eletricidade. Ao entrar em contato com fios de alta tensão, pode causar diversos acidentes em quem está com a linha e nas pessoas por perto.

O intuito da mistura nas linhas é realizar duelos no ar, a fim de cortar a linha da pipa do adversário. A época mais frequente de se encontrar as linhas e redobrar os cuidados, são durante as férias escolares.

Apesar do uso de linhas com cerol ser considerado crime em diversos pontos do país, ainda não existe um controle por parte da polícia e outras autoridades. Assim, diversos comerciantes praticam a venda sem receber punição.

No primeiro semestre de 2018, haviam sido registrado mais de 200 reclamações de residências que ficaram sem energia por conta de cortes provocados pelas linhas cortantes.
Geralmente, as áreas com mais acidentes deste tipo são rodovias, praias, bairros periféricos e ruas próximas a parques e praças. As vítimas acabam sendo os motociclistas, pedestres, skatistas, veículos, helicópteros e, na praia, surfistas.

Hoje, a maior parte das vítimas de linhas com cerol são motociclistas. Por isso, foram desenvolvidas as antenas corta pipa

antena corta pipa antena corta pipa

Antena corta pipa

Em 2016, a antena corta pipa foi homologada pelo Inmetro. Na época, tentaram impor uma lei que obrigada todas as motos profissionais a usarem. No entanto, hoje em dia não existe nenhuma obrigatoriedade.

Discreta, pequena, extremamente importante e fácil de instalar, a antena corta pipa é uma das maiores medidas de segurança que o condutor de uma moto pode tomar.

A antena corta pipa é composta por uma haste metálica com um gancho de estilete na ponta. O gancho prende o fio e o corta antes que chegue no motociclista ou em quem está na garupa.

Ela deve ser instalada no guidão na altura do rosto do motorista. É importante que seja na altura certa para que proteja inteiramente. Uma opção para redobrar a segurança, é instalar uma antena de cada lado do painel da moto.

Existem diversos modelos de antena pipa no mercado, como reclináveis, retráteis, com abraçadeiras. Na maior parte das vezes, são produzidas em alumínio ou aço inox, que são materiais resistentes.

Protetor de pescoço

Outra opção é o protetor de pescoço, também ideal para quem costuma passar por lugares de risco.
O acessório foi inicialmente criado para pilotos usarem em competições para ajudar a proteger o pescoço de graves lesões causadas por possíveis acidentes. Mas com o aumento de acidentes automobilísticos nas estradas, foi desenvolvido um para o uso de qualquer motociclista.

Segurança nunca é demais quando se está em cima de uma moto e, principalmente, quando tem alguém na garupa.
Então não pense duas vezes e não perca tempo, corra para a nossa loja e confira nossas antenas e protetores de pescoço.

Veja mais dicas em nosso blog clicando aqui!

Relacionados

Conheça nosso ecommerce

Acessar